quarta-feira, 18 de julho de 2012

Tristeza que não sai de mim...

Comecei a ir para a escola com 4 anos, no prézinho do Caetano de Campos.
Lembro até hoje do meu primeiro dia, o nome da professora era Socorro. Lembro que tinha uma malinha para apoiar na cadeira, vermelha, com um desenho da Xuxa, minha mãe que fez e tenho até hoje guardado. Lembro dos livros e da roupa que usava. Das cantigas que aprendi lá, não conhecia muitas músicas populares, aprendi outras em casa. Lembro do parquinho, ainda posso vê-lo da janela do apartamento, mas é uma pena que não seja mais o mesmo.
Por que a escola está tão abandonada? Por que fecharam o prézinho? Virou um tremendo de um terreno baldio, com plantas gigantescas (não limpam o jardim há muito tempo), depósito de drogado (já vi imbecis pulando o muro para ficar fumando maconha ou usar outras porcarias lá).
Tristeza define tudo!

Ao fundo, vemos o prédio do prézinho. Saudades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário